segunda-feira, 20 de agosto de 2012

DECLARAÇÃO DE AMOR

Sabe...
Não tenho muito que dizer, já disse muitas coisas. Deixei aberto o que tem está vivo em mim. Tenho sons na alma que são capazes de gritar tão alto quanto seja possível e por todo canto que eu olho, vejo o quanto isto é tão teu, o tanto que isto é tão valioso dentro de mim.

Sabe...
Não estou vendo nada além de você e está tão lindo de olhar que chega a doer, chega a dar medo de não ser real, mesmo sabendo que isto está só nos meus sonhos.
Esta coisa não tem juízo, não tem plano, não sabe explicar por que não consegue se enxergar sem você, não sabe o que é sorrir a não ser se estiver pensando em você.

Sabe...
Muitos podem ser os caminhos e eles se mostrarão, eu sei que este amor pode ser tortuoso, pode ferir. Sei que pode ser atrevido, difícil de lidar, mas é infinitamente lindo de tocar.
Os nossos lábios podem se tocar, nossa pele se misturar num abraço e os braços se enroscarem deixando brincos se perderem pelos caminhos e serem deixados como rastro, como uma foto de um amor que viveu ou como um lampejo de um sorriso que se permitiu expressar.

Sabe...
Tenho ficado aqui horas a pensar, vendo este sentir que não mede, ás vezes esboço um choro que vem da alma, que vem queimando, vai levando tudo, dá até, desespero se olhar. Mas toma conta de tudo e nada diz, apenas cala a incerteza de viver, e diz ser o melhor de mim. Eu não sei! Mas sei que é tudo que eu quero que exista; é tudo que quero viver, mesmo que falte você,

Sabe...
É uma coisa estranha, como pode?! O que move este sentimento? Seria o desafio? O desejo insano de unir pessoas que vivem momentos diferentes? Sei lá!  A razão é pratica. Tem suas normas, define suas regras e ameaça se desobedecê-la. Mas enfrento o risco, podem me dizer o que é correto sentir, mas não podem dizer pelo que devo lutar,

Sabe...
Fico ouvindo musicas, reinventado minha história, pondo você em lembranças que não existiram, vibrando o tempo todo neste amor, que eu não sei se é justo ou humano, se fará doer ou se me tirará os pés do chão, mas já não me importo. Não é leviano, não parece maltratar, me conforta quando estou perdido. É meu, me deixa sentir, foi Deus que me deu, ele saberá o quanto poderá doer ou me fazer feliz.

Sabe...
Às vezes, fico olhando fotos, lembrando seu cheiro e fico me imaginando beijando o seu corpo todo, acariciando cada parte escondida, revelando cada mistério que rodeia minha imaginação, confortando sua cabeça sobre meus ombros, enquanto sussurro versos de amor e falo do quanto é seguro estar nos meus braços, mesmo que seja por tão pouco tempo, mas que só seja importante apenas estar ali, envolvido no calor dos nossos corpos.

Sabe...
Conto os segundos, esperando você passar por mim, por qualquer motivo bobo dizer palavras sem muito sentido. Só por dizer. Tocar uma parte qualquer do seu corpo, apenas pra sentir o quanto vivo me sinto. Não sei explicar. O tempo talvez me ensine a te esquecer, mas eu não queria. Queria apenas aprender a ser alguém que você sentisse falta, como eu sinto agora, que sentisse vontade de falar coisas sem motivos, engraçadas, bobas, mas maravilhadas pelos olhos de encanto que você tem em tudo.

Sabe...

Amo e nunca amei tanto, Não sei te amar com medida, é tudo que sei por enquanto. Estou descobrindo o quanto é esse tanto, dia a dia, como um forasteiro diante de uma montanha, como um menino diante do oceano. Não depende do que aprendi andando pela vida saber se haverá um nascer do dia, assim como não sei como começou. Acontece agora diante de mim. Não seria maior se tivesse um dia sido planejado. Não é tão distante, cheio de fronteiras impossíveis. É amor que invade quem vive, é vida que vibra quando se permite existir. Isto é, apenas eu aqui, esfolando meu coração nas pontas destas palavras, nada mais. É uma alegria que não tem por que, apenas existe por você existir em mim.


Marcos tavares de souza