quarta-feira, 31 de julho de 2013

DEPOIS QUE EU PARTIR


Depois que eu partir, volte à vida,
dê passos para ressurgir, continuar...
Se permita uma cisão,
uma aflição para dormir,
um cansaço de acordar.

Um medo vai apontar novos desafios,
repatriar lembranças esquecidas,
não se intimide, enfrente! 
Deixe que venha,
olhe em frente.
Toque violão. Rodopie.
Deixe as horas se perderem
e levarem a dor.

Depois de me perder, perca as entranhas.
Perca a raiva da vida, os caminhos e por que não?
os descaminhos.
Faça loucuras, perca o controle,
Lute por novas conquistas, e por que não?
Alguns desenganos.
Uma extensão já percorrida vai vibrar como saudade
pode sentir se quiser, não é crime.
Um dia, não irá mais machucar.

Depois que eu partir, noites continuarão noites.
Outras chuvas vão cair nos passos que se foram,
Para que tentar conter nas mãos
o controle impossível do destino? Caminhe.
A vida é sempre nova, desfaça-se do passado.                         

Peça pizza. Compre roupas novas, pague o vigia.
Nada de choro, melancolia, fotografias.
Veja a vida em sua essência: Um pulsar.
Uma viagem que se refaz a cada dia.
Um espetáculo que Deus nos convida a atuar.


Marcos tavares