segunda-feira, 22 de julho de 2013

AH! AS MULHERES


Ah! as mulheres...
Estão sempre protegidas
dentro dos seus esconderijos,
Querendo ser surpreendidas, reveladas...
São meninas querendo ser encantadas.

Gostam de mistérios, 
sapatos, exageros, mimos...
-flores sem motivos-
Nunca revelam seus desejos, 
é seu dever descobri-los.

Se você quiser que 
ela aceite o seu amor, 
liberte-a de seu ciúme,
ame-a em segredo,
sem desprezo, 
nos gestos sutis, 
entre olhares cheio de desejos.

Deixe que ela duvide
do que você sente.
São indefesas 
diante de uma escolha, 
querem testemunhas.
Nunca acredite em suas lágrimas,
é uma armadilha.

Preste atenção nas unhas, 
nos cabelos, nos vestidos.
Aprenda a elogiar, fazê-las rir, 
afagar os seus cabelos.
Ande de mãos dadas, 
abrace-as no frio, 
desnude-as cuidadosamente.
Não olhe os detalhes do seu corpo, 
olhe sempre nos seus olhos.
São inseguras quando nuas 
desde o pecado original.

Mulheres são manequins, 
equilibristas, bailarinas.
Vivem nos espelhos, passarelas, 
em portas de guarda roupa.

É um enfeite que se oferece, 
quando apaixonadas.
É um deleite que se prova, 
quando permitido.
É um veneno que se bebe 
quando provocadas.

Mulheres vivem em bando 
se espelhando.
Ás vezes sozinhas 
chorando a tarde toda,
por uma roupa que não cabe mais,
por um poema no fundo de uma gaveta
por uma cena de novela, 
ou outra besteira qualquer.

Mulheres são assim, 
mas não se engane.
São astutas, articuladoras, perigosas.
Já destruíram impérios, 
heranças, corações...
Já foram vilãs, espiãs 
e sempre serão poderosas.
Podem conduzir o mundo 
com o poder da sedução

Não precisam somente de carinho,
Querem atenção, 
que você as escute entusiasmado,
São guerreiras quando mães, 
predadoras quando famintas,
prostitutas quando amadas.
Oferecem o colo pra ninar,
mas querem um ombro 
pra descansar e serem abraçadas,
quando exaustas da condição 
de ser uma mulher. 


Marcos tavares de souza