quarta-feira, 9 de setembro de 2015

CADA MAL

Eu te quero assim, desaforada,
escapando entre meus dedos. 
Mandona, arredia, impaciente,
não olhando meus olhos
bêbados de amor.

Eu te quero em mim, 
não artificial, 
como qualquer defeito meu, 
cada mal, 
como cada medo 
que vivo e viverei.

Eu te quero com a sua dor, 

com seu rancor,
com tudo aquilo que me mostra 
porque eu me encantei.

Mas se um dia,
eu quiser te ver diferente,
fuja!, já não tenho certeza, 
...fracassei,  
Ignore meus olhos
cheios de lagrimas,
deixe-me só 
com minhas mentiras,
este amor terá partido, 
será hora de recomeçar.


Marcos tavares