terça-feira, 15 de setembro de 2015

SOPRO DO VENTO

Foi de olhar figuras nas nuvens                     
que meus olhos se perderam
não sei se foi o sopro do vento
que me carregou
ou o brilho que havia neles
que me enfeitiçou..
vivo esperando elas se juntarem
pra se desmancharem em chuva,
preciso apenas tirar o pó dos meus olhos
que se encantaram,
ao vaguear o céu,
vivo esperando 
as estrelas se desvelarem 
pra ver sorrir meu coração
que não se importa em cair
por tentar voar
nem lamentar
perder o chão
por viver a sonhar
com a imensidão.  


Marcos tavares