terça-feira, 18 de setembro de 2012

AUGUSTO EM HORIZONTE CIRCULAR



Achei-me intemporal
num campo solitário.
O sol a pino ardeu
no fundo de meus olhos.

Senti a gravidez
da noite ao meio-dia.
Parei de ser e fui
o ritmo de tudo.

Fundiram-se, à escuta,
as flores com as nuvens.
Em mim estava o fulcro
De Amar, verbo redondo.


Adelaide Petters Lessa