quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

SUAS RETINAS


Trago em minha boca
o seu beijo úmido,
e este perfume no corpo
de peles que se misturam.

Desviro a minha alma

em busca de outros rumos,
caminhos não percorridos
que ainda te procuram.

Tenho asas pra voar,

mas não sei partir sem te levar,
Sou nômade dos teus gestos,
cárcere das tuas entranhas.

Ouso abrir a porta e tentar partir 

e noto em meus passos
que você ainda é meu lugar,
o espaço que aprendi caminhar.

Procuro frestas em suas retinas

como as manhãs entre as cortinas
e vejo a vida em seu olhar
me mostrando onde pulsar.


Marcos tavares

foto de Aline Vianna