segunda-feira, 23 de março de 2015

PASSOS NA ESCADA


Os porões do meu coração
guardam ainda alucinações.
Tenho medo de tocar as feridas
que ainda secam nas coisas
que já nem sei mais
por que guardei.

A lembrança guardou
nossos passos na escada,
emitem sons na casa quando dormem.
Os portões rangem
no resvalar do vento,
e a tristeza me faz lembrar o silencio
que ficaram nas coisas que se calaram
dentro de um relicário
cheio de pingentes quebrados
que pensei ter esquecido.

Sinto falta de ouvirmos a chuva,
vendo as gotas escorrerem na janela,
escolhendo peças no armário
vestindo velhas fantasias
rindo de coisas banais.

O som da minha dor vem destoar
as cicatrizes da casa vazia,
nas coisas que construímos juntos,
e o sussurro de uma lágrima que cai,
parece rasgar meus olhos endurecidos
por não saberem ainda perdoar.


Marcos tavares