terça-feira, 31 de julho de 2012

Cadinho Antony

Tem dia que a vida
Se sente mal.
É um enjoar
A fustigar o corpo.

Ora uma lapada de cansaço
Fazendo doer as pernas
Ora uma tristeza
Invade o coração.

Avivando lembranças que vão,
Empurrando na mente
Saudades felizes transformadas em melancólicas.

E ao se olhar no espelho,
Os olhos opacos
Denuncia a proximidade da chegada do nunca mais


poetas colaboradores,